31
Mar

EXORTAÇÃO DO PCA SOBRE COVID-19

A situação em que o nosso País e o Mundo se encontram devido ao novo Coronavírus (COVID-19), representa um gigantesco desafio de saúde pública, que deve mobilizar-nos no sentido de adoptarmos os comportamentos individuais e colectivos adequados à contenção deste surto. Esses comportamentos, que têm sido recomendados pelas autoridades sanitárias do nosso País, e pelo Governo, ao seu mais alto nível, exige de nós uma atitude responsável e voluntariosa.

Somos todos compelidos a evitar ao máximo as condições que favorecem a propagação do vírus. Essas condições têm sido disseminadas pelas autoridades de saúde, nomeadamente, através da comunicação social e outras formas de comunicação de massas.

No meio da profusão de informações sobre esta crise de saúde pública que enfrentamos a escala global, há que estar atento às informações falsas que circulam sobretudo através das redes sociais, devendo, nós, evitar seguir essas informações e muito menos partilhá-las.
Apelo aos colaboradores da ENH que sigam única e exclusivamente as orientações de fontes credíveis, entre elas as informações sistematicamente prestadas pelas nossas autoridades de saúde.

Protegermo-nos a nós, à nossa família, à nossa comunidade, é o melhor contributo que podemos dar para a contenção deste flagelo.

Ao nível da ENH temos vindo a adoptar as medidas que se revelam mais adequadas a cada momento. Reforçamos as medidas de higienização das nossas instalações e áreas de trabalho e estamos a nos organizar para reforçar essas medidas se a situação assim o justificar, tudo em prol da proteção do nosso recurso mais precioso, o nosso capital humano.

Reforçaremos a comunicação interna na disseminação de informações sobre as boas práticas recomendáveis neste contexto, exigidas a cada um individualmente e a todos coletivamente.

Contamos consigo, caro colaborador, para ultrapassarmos exemplarmente este tempo preocupante, pois, o esforço individual juntado ao esforço coletivo poderá ser a força necessária para conter a propagação deste mal que não escolhe a quem vitimar. Nem mesmo os mais fortes, os mais favorecidos ou os mais avançados estão imunes.

Estudaremos internamente alternativas que minimizem os constrangimentos que esta situação excepcional poderá impor ao desenvolvimento normal das nossas actividades laborais. Poderão ser medidas excepcionais em virtude de uma situação excepcional e, por isso, apelarei à compreensão de todos para aceitarmos estas circunstâncias com a tranquilidade possível.

Estou certo que juntos e coesos, também nesta crise sanitária, seremos bem sucedidos e regressaremos ao nosso quotidiano tão breve quanto possível.

Estevão Rafael Pale
Presidente do Conselho de Administração