Home / Imprensa / Notícias / Delegação Norueguesa e ENH definem linhas de cooperação em encontro bilateral

Delegação Norueguesa e ENH definem linhas de cooperação em encontro bilateral

Delegação Norueguesa e ENH definem linhas de cooperação em encontro bilateral

Maputo, 6 de Março de 2018 - A Empresa Nacional de Hidrocarbonetos reuniu-se, em Fevereiro último, em Maputo, com uma delegação Norueguesa encabeçada pela Vice-Ministra do Petróleo e Energia, Ingvil Smines, para um encontro que passou em revista os principais projectos da empresa, as oportunidades de investimento para os próximos anos e os mecanismos de cooperação.

Um dos principais pontos em discussão foi a contribuição do gás para a matriz energética nacional e os projectos futuros de geração de energia tendo em conta o papel de agregador da ENH.

“A produção de energia é prioridade para o país e para a ENH. Hoje a contribuição do gás natural para matriz energética está abaixo do desejado. A nossa pretensão é atingir a faixa dos 30 por cento e para isso contamos com os projectos MGTP e a Central Térmica de Maputo que deverão contribuir com cerca de 506 MW”, disse o Presidente do Conselho de Administração (PCA) da ENH, Omar Mithá, em resposta a uma pergunta sobre os planos futuros da  empresa em relação a demanda energética do país.

Omar Mithá reafirmou, no entanto, a necessidade de desenvolvimento de outras indústrias de mão de obra intensiva e que devem tornar o país consumidor e exportador de produtos petroquímicos. “Queremos criar capacidade técnica e acrescentar valor aos recursos em Moçambique. Vários países da região importam LPG e temos condições de capitalizar criando uma indústria forte, numa base comercial de acesso ao gás, e fazer de Palma um Cluster industrial”, disse.

Em resposta ao manifesto anseio da ENH em criar capacidade nacional na cadeia de valor do gás, a Norueguesa BWGroup manifestou interesse em estabelecer uma parceria com a ENH para avaliar a possibilidade de acções conjuntas no transporte de produtos petrolíferos tendo em vista os projectos da Área 1 e da Área 4, na Bacia do Rovuma. Outro interesse da Noruega é a formação e a capacitação de quadros moçambicanos, devendo a ENH, através do seu plano de criação de unidades de formação, ser uma forte parceira para o efeito.

No fim do encontro, as partes manifestaram abertura em continuar discussões relacionadas ao acesso à capacidade técnica e financeira na implementação dos objectivos da ENH. A Vice-Ministra Norueguesa reafirmou abertura deste país em cooperar com a ENH e o país em geral, criando ligações empresariais.

O encontro bilateral foi realizado no âmbito do programa de celebração dos 40 anos de cooperação entre Moçambique e Noruega, marcado por diversas actividades no país entre os quais a realização de um fórum de negócios.

Num dos painéis que discutiu as perspectivas de investimento no sector energético em Moçambique, os PCAs da ENH, do Instituto Nacional do Petróleo (INP), do Fundo Nacional de Energia (FUNAE) e da Electricidade de Moçambique (EDM) apresentaram os planos do sector com vista a electrificação do país nos próximos anos.

De referir que, desde a década de 1980, o Reino da Noruega tem contribuído para o desenvolvimento do sector petrolífero nacional, a destacar no empreendimento de Pande e Temane e no apoio institucional da empresa e na assistência técnica na implementação dos projectos de geração de energia com base no gás CTRG e Gigawat.

  • Atualmente 0 de 5 estrelas.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Avaliado: 0/5 (0 votos realizados)

Obrigado por avaliar!

Você já avaliou esta página, você só pode avaliar uma vez!

Your rating has been changed, thanks for rating!

Log in to rate this page.

  • %ª Edição do MMEC

    %ª Edição do MMEC